Botafogo 0 x 1 Grêmio: Apoio ou abandono?

Há derrotas e derrotas.

A forma que o Botafogo perdeu para o Grêmio nesse sábado foi bem diferente da derrota para o mesmo Grêmio em Porto Alegre. Naquele jogo, pressionamos o adversário durante todo o segundo tempo. Dessa vez não chegamos nem perto daquela atuação – mesmo em casa e mesmo tendo um homem a mais por mais de 60 minutos. Vale lembrar que, naquele jogo, houve um duelo à parte entre os jogadores que eram então apontados, junto com Alex, como os melhores da competição – Zé Roberto e Seedorf.  O nosso veterano fez um golaço, e o veterano deles teve uma atuação exuberante. Agora eles não dependem mais do Zé Roberto, que virou opção no banco. E nós continuamos dependendo do Seedorf, cujas pernas não correspondem mais ao cérebro.

Agora, ficou assim: nas quatro partidas no Maracanã, marcamos UM ponto (segundo o Pereirão, a combinação salários atrasados + Maracanã não deu certo; é preciso mexer em um dos fatores, talvez nos dois…). E, nas últimas três partidas, fizemos apenas UM gol – de um zagueiro, e de canela!

Sim, estamos todos irritados.

Mas, além da irritação, o sentimento que prevalece é o da apreensão.

Será que vamos, novamente, acabar o ano sem uma vaga na Libertadores, depois de ficar tanto tempo no G4?

Se alguma coisa não mudar urgentemente, eu temo que sim. E peço aqui um momento de reflexão.

Os motivos são os mesmos dos anos anteriores, que nada têm a ver com “maldição”, “superstição”, “cavalo paraguaio” e outras bobagens esotéricas e/ou irônicas. É bem mais simples: ESTÁ FALTANDO JOGADOR. E o principal responsável por essa ausência não entra em campo. Falta de planejamento e de investimento da diretoria, que ainda se desfez de três jogadores muito importantes no grupo, a saber: Fellype Gabryell, Vitinho e Andrezinho (sim, até o Andrezinho está fazendo falta).

Com a queda acentuada de rendimento técnico dos principais jogadores do time – e da já decantada “falta de peças de reposição”, tão apregoada pelos comentaristas – as coisas pioraram de vez.  Falemos, por exemplo, do Rafael Marques, que estava fazendo uma temporada tão regular: talvez pela contusão do Elias e sua posição mais avançada mesmo, talvez por fadiga mesmo, já não joga uma partida decente desde que ajudou a desclassificar o Galo, pela Copa do Brasil. Sem contar o Lodeiro, cada vez mais improdutivo, sem contar o Henrique nosso centroavante zero gol, sem contar o Bruno Mendes completamente fora de ritmo, sem contar a improdutividade irritante do Renato…

São muitos jogadores, juntos, em má fase. E, NESSE ASPECTO, o Oswaldo Oliveira é o menos culpado. Ele escala o que tem de melhor – e o que tem de melhor é pouco, e insuficiente.

Sobre as vaias ao Seedorf: sim, ele está muito mal. Mas não se entrega, mostra espírito de luta, tenta até o fim. E quem vai entrar no lugar dele? Octávio? Hyuri? Jefferson Paulista? Rafael Marques recuado? As opções não são tão claras, né?

Agora, é o seguinte: com essa queda de rendimento, cabe sim um protesto. Mas, em primeiro lugar, deveria ser direcionado à diretoria. Depois aos jogadores e à comissão técnica.

Por isso, convido todos a uma reflexão: ainda temos chances na Copa do Brasil, ainda temos chances de uma vaga na Libertadores. AINDA é hora de apoiar, não de abandonar o time. Se ambas as tentativas fracassarem, é caso sim de protestos mais severos.

Tudo porque, na minha opinião, não está faltando vontade. Estão faltando pernas, pulmões e cérebros.

Vamos em frente?

PS: No naufrágio coletivo, gostei do Dankler. Seguro e sem culpa na falha coletiva de marcação que gerou o único gol da partida.

PS II: Por incrível que pareça, acho que o Botafogo jogou melhor enquanto o Kleber, que foi expulso, estava em campo. Em nenhum momento conseguimos nos aproveitar da vantagem numérica.

PS III: Se os jogadores é que fazem questão de entrar em campo com calções brancos, que eles sejam punidos e percam essa preferência. Ao jogar em casa, o Botafogo tem que entrar com seu uniforme número 1.

Anúncios

2 Respostas para “Botafogo 0 x 1 Grêmio: Apoio ou abandono?

  1. Talvez a melhor coisa sejam esses dois jogos fora do RJ. Dois jogos duros, mas talvez seja melhor mudar um pouco os ares.

  2. Parabéns ! Comentário sensato e que coloca o dedo exatamente na ferida: a falta de bons jogadores. Desde bem cedo neste campeonato, enquanto muitos se iludiam com esse time, apontei que esse era um problema. Disse que não via nesse grupo qualidade técnica para estar onde estava, mesmo se o Botafogo não tivesse vendido ninguém. Muito lá atrás, afirmei também que apostar todas as fichas em um veterano (embora campeoníssimo) como Seedorf não era a melhor tática, melhor seria usar o gordo salário dele para reforçar o time em várias posições com gente que agora poderia estar fazendo a diferença (não com Henriques (!), Alexs (!!!!), Sassás ou assemelhados). Enquanto a opção Seedorf deu certo, ótimo, mas era óbvio que as consequências viriam mais cedo ou mais tarde. A verdade é uma só: o time do Botafogo é medíocre, desfez-se de jogadores importantes e contratou outros medíocres (embora quisesse empurrá-los para a torcida como revelações fantásticas), está na dependência de um cara de 38 anos, cujo fôlego acabou e corre um seriíssimo risco de ficar de fora mais uma vez da Libertadores, exatamente como aconteceu seguidamente nos últimos anos.

    Sílvio Porto Alegre

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s