Cruzeiro 3 x 0 Botafogo: Sem cicatrizes

Antes de mais nada, devo esclarecer: a culpa pela derrota no Mineirão é inteiramente minha.

Por motivos de força maior, não pude comprar o ingresso para a torcida visitante.Resultado: tive que desembolsar a bagatela de R$ 180 para assistir ao jogo nas cadeiras especiais. Como foi a primeira vez em que assisti ao Botafogo em BH afastado da nossa torcida, tenho certeza que essa quebra de rotina fez o Seedorf perder o pênalti, entre tantas outras coisas que não deram certo nessa quarta-feira.

Sim, meus amigos, tem noite em que a estrela não brilha. Aí fica mais fácil de o céu ficar azul.

Todos viram o jogo e sabemos que o placar foi mais elástico do que o que aconteceu no gramado. Nem vou me alongar muito nesse pós-jogo, pois acho que não é momento de cultivar cicatrizes. Algumas cenas da noite:

1) Seedorf, mesmo depois de perder o pênalti, com a mão esquerda levantada o tempo inteiro, pedindo bola. Mesmo quando está em noite para se esquecer, ele ainda faz a diferença:deu o passe para o lance da penalidade, por exemplo. E, mais importante, jamais foge do jogo.

2) O estilo de jogo do Renato não combina com um jogo decisivo como esse. Ouso dizer que não combina com essa forma aguerrida que o Botafogo joga. Muitos passes curtos, que deixam os companheiros na fogueira, e marcação à distância. O Renato não se impõe em nenhum momento. E, quando joga ao lado de um Seedorf extenuado, a situação se torna ainda mais dramática.

3) Rafael Marques é o jogador mais dinâmico do Botafogo no momento. Imprescindível para a movimentação ofensiva. Está cada vez mais apurado do ponto de vista técnico, mas às vezes, é sério, parece que as pernas – excessivamente longas para a prática do futebol – o atrapalham. 

4) Elias, que perdeu um gol que teria mudado a história da partida, também é um jogador bem importante para o time. Prende os zagueiros e briga o tempo inteiro.

5) Começamos a perder esse jogo com a suspensão do Dória. Bolívar teve que se redobrar, mas era visível a insegurança do André Bahia, tentando apenas não comprometer. E, claro, com a ausência do Gabriel, que precisa voltar com urgência ao time.

6) Achei o Oswaldo tranquilo demais durante a partida. Seedorf e, em especial, Julio Cesar o procuravam o tempo inteiro para discutir o jogo e nosso técnico lá, impávido, falando pouco e apenas observando. E acho que o Oswaldo mexeu muito mal – Henrique e Alex, sem sangue novo no meio de campo, nada fizeram. Era para o Octávio ter entrando na segunda etapa.

7)  Os reservas, em especial o Hyuri e o Octávio, vibraram que nem crianças atrás do banco quando da marcação do pênalti. Sinal que estão muito ligados na partida e no time.

8) Hyuri, que passou uns 15 minutos aquecendo atrás do banco de reservas, foi duplamente lembrado pelos cruzeirenses que estavam nas cadeiras. Três deles não paravam de xingá-lo. E um adolescente, com o nome do Victorino nas costas, fez sinal de que queria a camisa do nosso jogador. Encabulado com o pedido inesperado,  Hyuri fez sinais com as mãos que entregaria a camisa depois do jogo. O menino abriu um sorriso, feliz da vida.

9) A superioridade do banco do Cruzeiro decidiu a partida. Mas, em termos de time completo, onze contra onze, ainda sou mais o nosso.

 10) De tudo o que vi e ouvi, a única coisa que realmente incomodou foi ver um estádio lotado por causa da ótima campanha de um time. O Botafogo merece essa experiência – e ainda não pôde desfrutá-la. Será que vai ser nesse domingo?

   11) A torcida alvinegra fez bonito na arquibancada. Demonstrou tanta valentia quanto o time. Que assim continue. Ainda tem muito campeonato pela frente. It ain`t over til it´s over.

 

Anúncios

14 Respostas para “Cruzeiro 3 x 0 Botafogo: Sem cicatrizes

  1. Todos viram o jogo?
    Quem é que esteve cansado e ficou dependendo de gente informando do jogo via whatsapp hein? Foi meu caso ontem!! Tive que ler o post aqui e sem dúvida/ com certeza irei ler demais posts e até vou ter resposta sobre o jogo também, em outras épocas tipo 2007….um resultado desse me desanimaria pra cacete, só que há um porém que a gente sempre vê nesse elenco independente de onde ele vai chegar: Esse grupo tá fechado, a gente nota diferença quando se reunem no meio de campo antes do jogo rolar(isso vi na Vila Domingo e acho que até vc leu a postagem).
    Quando fiquei sabendo do Seedorf perdendo pênalti….fiquei mais tenso assim! Saber do jogo em plena aula decisiva, virou rotina pra mim infelizmente ainda mais meio de semana!!!
    E quem não tem ido aos jogos(quando pode)…tá perdendo um ano especial de Botafogo, como disse o @fogao77 em um tweet por aí!!
    6 e pouco da manhã e to já lendo posts e mto mais, é pra ver que nem todos viram o jogo e nem deu tempo de ver VT e nem nada!
    Mas esse 3 a 0 de ontem sinceramente, NÃO ME ABALOU, NÃO ME DESANIMOU! Iria para o Maraca domingo se fosse preciso, mas talvez não passe de um post no blog juntando com o resto da rodada e olha lá!
    E ainda bem que ainda tem gente que nos ajuda com um post, com um whatsapp ou algo que valha….é agradecer e não baixar a cabeça e bora lá a gente ficar ansioso de novo, porque tem muito mais ainda!
    E tem cruzeirense mesmo que sabe que isso não acabou e não comprou a fala da maioria da imprensa de que o campeonato teria acabado após ontem!
    Abraço Cara!!
    Igor(@igorsausmikat)
    meu blog de esportes: http://igoresportes.blogspot.com.br/ e no twitter @blogdoigor05(lá o último post do jogo do Fogão na Vila, tá mostrando o quanto esse time precisa do torcedor e o quanto o ano está sendo especial independente

  2. Continuando o relato anterior(não sei como me deixaram escrever mais, até acho estranho): …..independente de quando vai chegar no campeonato!
    É isso!

  3. É inegável que o holandês é um craque, mas, o elenco do BOTAFOGO está dependente demais dele, a bola tem que passar por seus pés, e as vezes este detalhe mata a jogada.
    De bom foi Renato ter se machucado, o carioca ganhamos sem ele.
    SB

  4. Marcelo, permita-me discordar apenas do item 4. O Elias eh um esforçado bem intencionado e ponto. Mais da metade dos atacantes em atividade no Brasileirao, titulares em seus times, fariam melhor que ele com a serie de jogadas que lhe sao oferecidas.
    Concrdo com todos os demais comentarios, enfatizando que enquanto o Cruzeiro trocou Nilton por Henrique, Borges por J. Batista e Everton por Dagoberto, que sao jogadores experientes e de sucesso por onde andaram. Nos usamos o nosso Hyuri (que ainda não eh um Vitinho e pode nunca ser). O Alex que já teve todas as chances desde 2010 e não aproveita e nem lampeja como o oscilante B. Mendes e o Henrique que convenhamos não joga no Real Madrid de Itacuruca quanto mais no time B do original espanhol.
    Ainda assim o jogo foi parelho, com o Cruzeiro melhor e merecendo sair no 1o. tempo com a vitoria, apesar do gol de sorte e nos dominamos mesmo depois do pênalti mandrake (juiz brasileiro so não atende ao publico se for do supremo. Alias, quantas outras semelhanças )
    Aproveito para parabeniza-lo pelo magnifico texto sobre o Seedorf. Obra prima.
    Temos chances apesar das limitações. Fé no brilho da estrela.

  5. Prezado amigo,
    Mais uma vez foi preciso em sua análise. O mais interessante que seu post anterior tratava exatamente da questão do físico do Seedorf estar sentindo essa maratona e ontem eu percebi muito isso, ele cansado, sem timing, mas com a sua postura característica!
    Parabens pelos seus textos, sou seu fã!

  6. Assim que saiu o segundo gol (num penalti muito do esquisito) eu já fui no site do futebolcard garantir meu ingresso. Esse time do Botafogo merece e não podemos desistir! Agora o importante é garantir esses 6 pontos contra Bahia e Ponte, pois acho que dificilmente o Cruzeiro garantirá 6 pts nos proximos jogos e vai ser a chance do Botafogo diminuir essa margem.

  7. Marcelo,

    Espero que o contusão do Renato o impeça de jogar até o final do seu contrato. Não lembro do Renato assumindo a responsabilidade em um jogo decisivo, como o de ontem.

    Que o Gabriel e o Gilberto voltem logo e jogando bem!

    Hoje irei pegar o meu ingresso para domingo com a gloriosa camisa amarela com o 10 do Seedorf!

    Abs e Sds, Botafoguenses!!!

  8. Olá,
    acabou sim.
    Por acaso vcs certamente já perceberam que o cruzeiro não sofre com perda de jogadores por cartões, expulsões e os adversários desse clube sempre jogam desfalcados de bons jogadores. Teve time que jogou até sem 8 titulares. OFogão jogou sem o Bom zagueiro Dória. Pesquisem e vejam como foi a expulsão dele!
    O Próximo adversário do cruzeiro é o corinthians e com certeza vai jogar desfalcado. Depois o Inter também…
    Times perdem seus amndos de campos por vandalismo de suas torcidas e o cruzeiro Não perdeu nenhum mando e olha que a bandidagem zul apronta em todos os jogos cidadess e Estados. No Rio e em Goiânia principalmente. A PM de goiânia foi agredida dentro do Serra Dourada e ficou por isso mesmo!
    O certo é que a justiça tinha que exigir a perda de mando de campo do cruzeiro, pois foi sua torcida que brigou!!!

    Ontem aqui no Mineirão foi uma covardia que fizeram com â delegação do fogão; Apedrejaram o ônibus e a PM estava perto e não fez nada.
    Vários torcedores do fogão que moram Minas foram agredidos pela bandidagem azul e teve repórteres que ficaram rindo e comemorando essas covardia. Otal de thiago reis da itatizeiro foi um que gostou das covardias. Esses f.d.p.s da imprensa Minas ficam ironizando vcs cariocas

    Fonte:http://globoesporte.globo.com/futebol/times/botafogo/noticia/2013/09/onibus-do-botafogo-e-apedrejado-na-chegada-do-time-ao-mineirao.html

    Vejam que a PM NÃO prendeu ninguém!

    Uma coisa que não quer calar: Porque a bandidagem azul (máfia azul e outras…) São intocáveis e temida. A imprensa, JUstiça e a polícia se omitem quando se trata da bandidagem azul
    Isso é muito estranho
    Dizem que o senador e conselheiro do cruzeiro Aécio neves e mais o “senador” Zezé perrella ditam as normas na imprensa e na justiça daqui de Minas
    TODOS SE BORRAM DE MEDO do Cruzeiro e da bandidagem azul.
    Por isso eu acho que o cruzeiro ja´é o campeão Brasileiro

    Alguém precisa fazer alguma coisa

    Essa bandidagem e essa imprensa podre tem serem extintas, EXTERMINADAS!!!

  9. Devo dizer que acredito no título apenas como exceção. Um jogo como o de quarta é que mostra o vaticínio dos deuses sobre um campeonato. e o Botafogo demonstrou que, se não tanto do ponto de vista técnico, ao menos do esotérico as chances maiores estão do outro lado.
    Combatemos em igualdade, mas, no momento crucial, as falhas capitais foram nossas, a falta de sorte foi nossa; foi nossa a infelicidade de testemunhar o naufrágio do nosso líder técnico-moral no momento justo em que ele devia agigantar-se e salvar o time inteiro.
    O jogo de quarta era um daqueles fios-de-navalha, em que, por exemplo, um time como o de 95 (abençoado dos deuses) faria o resultado necessário.

    Minha esperança de título já não é uma chama, é uma lampadinha esquecida.

    Mas não por isso fico menos feliz com o nosso time. Nem vou deixar de acompanhá-lo nos estádios e apoiá-lo.
    Porque é uma enorme alegria vê-lo jogar.
    É uma alegria vê-lo reinventar-se a cada tentativa de mutilação (no que há o trabalho de artesania esplendoroso que vem fazendo o Oswaldo).
    É uma felicidade assistir a um Botafogo que se impõe, que joga bonito, que empolga a torcida.
    É ótimo ver um time tão bem concertado, tão ciente de si, tão em sintonia e (sobretudo em se tratando de Botafogo) tão cheio de caráter.

    Muito bom ver, jogo a jogo, dividirem o campo um velho general afogueado do entusiasmo de um jovem oficial à cata de desafios, e novos e talentosos soldados perseguindo as glórias da batalha, mirando-se no exemplo do general.

    Os jogadores do Botafogo sabem o que são, o que podem e o que representam. Não se intimidam com o estigma pesado de derrotismo que pesa sobre a nossa estrela. Se há times que podem derrotá-los, nenhum vai derramar mais suor, nem aplicará mais sangue para vencer. E se a derrota vier, não terá tintas trágicas, como nas partidas decisivas que fizemos nos últimos anos. Virá a derrota não porque a deixamos vir, mas porque teve de vir.

    O Botafogo de 2014 é uma iguaria rara para os botafoguenses. Mas, mais que rara, singular, é a sintonia da torcida com o time; o apoio incondicional, maciço, permanente, uníssono que lhe dedica. Nem em 1989 houve isso.
    Nossa torcida talvez sabe, no fundo, que esse apoio não nasce da perspectiva do título (que, afinal, depende de fatores imponderáveis); nasce, sim, do orgulho genuíno que dá ver esse time jogar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s