Botafogo 2 x 1 Santos: Voando baixo

Quis o destino que eu assistisse ao primeiro tempo da partida dessa quarta-feira dentro de um avião, a caminho de casa.

foto (5)

 

Quase 50 minutos de atraso, o azar do dia. Ter o SporTV na programação da tevê em um voo comercial, a sorte do dia. E foi nessa insólita condição, a mais de cinco mil metros de altura, que assisti a primeira etapa da partida.

Enquanto lá fora as nuvens pesadas provocavam uma desagradável turbulência nos primeiros minutos de voo, na tela da tevê a sensação era de tranquilidade. Dois gols antes dos 25 minutos e, ainda mais importante, um time jogando com empenho, entrosamento e confiança, com destaque para as ótimas atuações de Gabriel e Felyppe Gabryyell. E, quando a confiança chega, meus amigos, Rafael Marques faz gol de todas as maneiras, para ser comemorado na terra, no mar e no ar. A aeromoça servindo batatinhas e goiabinhas, e o RM fazendo aviãozinho pra comemorar mais um tento.

foto (14)

Fim do primeiro tempo, o voo chega sem maiores sobressaltos a Brasília. Minutos antes de chegar em casa, ouço no rádio que o Montillo fez um gol. Penso em voltar para o avião para garantir a vitória, afinal de contas era óbvio que o gol do ex-cruzeirense só surgiu porque eu saí do lugar onde eu assisti a primeira etapa. Mas desconfiei que eles não deixariam eu voltar para  a aeronave, teria que ver em casa o final do jogo.

Ligo a tevê e vejo que corremos riscos, de novo em jogada individual de Montillo. E percebo também que Seedorf fez imensa falta, em especial na organização da partida, pois Andrezinho comprometeu o meio com sua tradicional lentidão. Mesmo Renato, que entrou no segundo tempo, não conseguiu render nem metade do que já ofereceu ao chegar ao Glorioso.

Mesmo com as ressalvas, conquistamos uma vitória importante, porque o Santos, com o dinheiro do Neymar, vai se rearrumar ao longo do campeonato e não será mais esse bando limitado que entrou em campo nessa quarta-feira.

O Botafogo tem, sim, todas as condições de voar baixo, com a combinação de velocidade, inteligência e poder de fogo. Mas não pode perder seus principais jogadores e precisa reaver seu estádio. “O Botafogo está sendo muito sacrificado com esses jogos em Volta Redonda e sem o Engenhão”, disse Oswaldo. E ele está coberto de razão.

 

 

Anúncios

Uma resposta para “Botafogo 2 x 1 Santos: Voando baixo

  1. Com essa politicagem toda do Engenhão, não poderíamos pensar no Caio Martins como opção viável?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s