Inter 1 x 2 Botafogo: Só para os fortes

Imagem

Ataque mais positivo, defesa mais vazada. Três vitórias, duas derrotas, nenhum empate: todos os jogos com virada, para o bem e para o mal.

É, meus amigos, torcer para o Botafogo, essa incessante fábrica semanal de depressão e euforia, é só para os fortes.

O que pesou nessa surpreendente vitória no Beira-Rio? A eficiência do jogo coletivo, a discrição da zaga (que não cometeu erros bobos, como da outra vez) e a inteligência do time, em especial no segundo tempo, quando Andrezinho e Vitor Junior desnortearam a defesa colorada.

  Não por coincidência, o gol de empate veio com uma bola que passou pelos pés de ambos – e culminou com uma bela conclusão do ex-Inter, enfim balançando as redes a nosso favor.

Vitor Junior imprime velocidade ao time e, ao contrário da atual fase do Maicosuel, é sempre incisivo, partindo para cima do adversário como se buscasse um prato de comida. Quando, enfim, partiu para cima da lenta zaga do Inter, conseguiu uma falta perigosa, um pênalti escandalosamente não-marcado e fez a jogada do primeiro gol. Não é pouco, certo?

Já Andrezinho, quase sempre lento demais, soube utilizar na segunda etapa a cabeça e cadenciar a partida, fazendo o tempo passar na hora certa. Os dois, secundados por Fellype Gabryell (a estrela do artilheiro das letras dobradas voltou a brilhar) e por uma boa estreia de Lennon, foram os maiores responsáveis pela vitória.  

Agora, é torcer para que na partida contra a Ponte Preta não tenhamos tantas emoções como nesses cinco primeiros jogos. Porque o que falta ao Botafogo é regularidade, em especial na defesa.

A conquista do equilíbrio deve ser o nosso próximo objetivo. É com você, Oswaldo. 

Anúncios

8 Respostas para “Inter 1 x 2 Botafogo: Só para os fortes

  1. Marcelo,

    Qualquer dia infartamos!!!

    Abs e Sds, Botafoguenses!!!

  2. Perfeita sua análise! Parabéns!
    E ninguém cala esse nosso amor!

  3. Como diz o grande narrador da tupi jota santiago:esse fogao me emociona! saudacoes a todos da linda estrela solitária.

  4. Caro Marcelo, o Vitor Jr retira areia do caminhãozinho do Andrézinho, tornando o Andrézinho mais leve, versátil e produtivo. O fato de trabalharem com pés diferente, facilita mais ainda a harmonia. Pelo fato de ambos serem leves, perdem no combate corpo a corpo, com isto, outros companheiros deverão buscar compensação no combate.
    Saudações Gloriosas!
    Cléto Martins

  5. Marcelo, queria ouvir a tua opinião sobre o comportamento contumaz da nossa torcida que se impacienta as vezes com um simples primeiro tempo de fraco desempenho, ou uma seqüência de dois ou três erros de um jogador (qualquer um). Vou ao Engenhao com freqüência e fico muito triste com a confusão de torcer para o time ou os jogadores que estão em campo, vs torcer para o clube, ou a camisa alvinegra. Recomendo que todos assistam ao vídeo da torcida Irlandesa durante o jogo em que perderam por 4×0, e repetiram a arrepiaste performance contra a Espanha na nova derrota por 2×0. Antes que alguém fale que seleção eh diferente de clube, recomendo que assistam alguns vídeos da torcida do Racing ou do Boca. Um abraço alvinegro e lamentarei a derrota da macaca que eh o time do meu filho mais novo, mas ficaremos temporariamente em lugares opostos.

  6. Qual a sua opinião sobre a possível saída do loco?

    • Oi Marcos,
      acho que será uma grande perda do ponto de vista simbólico e do papel que ele representa para a torcida, em especial para os mais jovens – é o maior ídolo desde Túlio Maravilha. Mas, dentro de campo, a verdade é que não está mais correspondendo tanto. O que acho? O Botafogo não pode ser refém – nem do Loco nem do esquema tático do Oswaldo, que evidentemente é um avanço pela aposta na intensa movimentação ofensiva, mas ainda se mostra muito inconstante para ser tratado como tábua de salvação. E, para mudar um jogo durante a partida, eu ainda confio mais no Loco do que no Oswaldo.

  7. Loco Abreu é um jogador lento e pobre tecnicamente. Com ele no time, o Botafogo vira refém de uma jogada pra lá de manjada: o chuveirinho na área. Essa pressão que ele vem fazendo para voltar a ser titular, dizendo que recebeu propostas de outros times e as negou por respeito ao Botafogo e que precisa jogar para aparecer para a Seleção Uruguaia, também não é muito ética. Que vá, então. Não acho que a ausência será tão sentida, mesmo porque se formos pensar bem o ponto alto dele no Botafogo foi o gol de pênalti (que quase não entrou) contra o Flamengo na final de 2010 e mais nada. E naquela mesma partida se o Jefferson não tivesse defendido um outro pênalti, talvez esse ponto alto não fosse tão alto assim. No mais é raçudo, assim como o Herrera. O que preocupa mesmo é que não estou vendo movimentação alguma para repor peças. Parece que o Herrera também vai sair. Quem é que jogará no ataque ?

    Sílvio Porto Alegre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s