Grêmio 0 x 1 Botafogo: A fagulha que faltava

Todos diziam que o Botafogo estava devendo uma vitória fora de casa, de preferência contra um adversário tradicional.

Pronto: graças ao Loco Abreu e ao Maicosuel, agora não falta mais.

Foi um jogo tecnicamente bem fraco, diga-se de passagem. O primeiro tempo, sonolento, só serviu para mostrar a falta que faz o Marcelo Mattos – mais desprotegido, o Botafogo teve que aturar o Grêmio disparando chutes de fora da área, testando os reflexos do Jefferson.  Herrera, muito mal, tomou amarelo (novidade!) e Lucas também não estava bem. Foram substituídos no intervalo por Felipe Menezes e… Alessandro.

A entrada de “Soninho” Menezes melhorou o meio e o Botafogo passou a ter mais posse de bola. Só que faltava criar uma chance concreta para tentar matar o jogo. Foi o que fez Maicosuel, numa belíssima jogada individual, driblando dois e, com inteligência, rolando a bola para o Abreu que, de canhota, fuzilou: 1×0 no placar do Olímpico.  O Mago, aliás, não só por essa jogada mas pelo que produziu e pelo que correu, foi o nosso jogador mais produtivo. Ao contrário do Elkeson, abusando do individualismo e desperdiçando valiosos contra-ataques (será que a Seleção já subiu à cabeça?). Depois do gol, o Loco ajudou a fazer o tempo passar e dava até para ter ampliado.

Um jogo chocho, uma vitória gigantesca. Deu pra entender?

No mais, que fique registrada outra defesa sensacional do Jefferson, em chute do Douglas – e, por conta do terceiro cartão, vamos ter que ir de Renan no domingo. E o curioso momento pós-jogo do André Lima conversando com o Loco – teria ido pedir um autógrafo ou simplesmente trocar de camisa?

Agora, é jogo de seis pontos contra o São Paulo no domingo. Quem mora no Rio ou estará na Cidade Maravilhosa tem obrigação moral, cívica, social, geofísica, existencial, geracional, histórica, íntima, passional de ir ao Engenhão.

Pois a fagulha que faltava para incendiar a torcida alvinegra foi acesa no Olímpico.

Anúncios

9 Respostas para “Grêmio 0 x 1 Botafogo: A fagulha que faltava

  1. Navegar eu quero
    Uma Estrela me ilumina
    Com a clareza e o brilho do cristal
    Transando as cores dessa vida
    Vou colorindo a alegria de chegar.

  2. Exigir bom futebol e espetáculo contra o Grêmio, no Olímpico, é querer muito de um time que joga sem meias de criação, porque tanto ELKESON quanto MAICOSSUEL são atacantes, que chegam para se juntar a Loco e Herrera. Isso dá certo no Engenhão porque lá o time está em casa, porém fora a coisa é diferente.

    Acho que debitar má atuação aos atletas convocados é um pouquinho demais porque todos sabem que ELKESON é um cara de um baita talento e um rolo compressor para as equipes adversárias, infelizmente, ontem foi fominha na hora de matar o jogo, assim como CORTÊS que não pode avançar porque lhe faltou a cobertura de Marcelo Matos e não se podia dar libertade ao lateral deles que também foi convocado, o que prova que não é bobo.

    Ainda é cedo para achar que o time tem perfil de campeão, mas, de rodada em rodada, quem sabe a gente chega lá porque tudo começa com um bom goleiro e isso, o BOTAFOGO tem, a defesa no final comprova.

    SB

  3. entendi seu recado. estou aqui no rio a trabalho e estarrei no engenhao domingo.
    vamos, fogao!

  4. para ser campeão, tem que quebrar tabus

    caio jr mexeu bem, tinha medo dele tirar ou maicossuel ou elkesson, mas tirou o herrera, deslocou o elkesson para a direita e botou alguem para prender a bola no meio. Realmente o M Mattos fez uma puta falta, havia um buraco na nossa intermediária

    impressionou e irritou a marcação pressão do gremio praticamente toda a partida.

  5. O M Mattos faz falta, lógico, mas acho que foi mais o Grêmio correndo como se fosse uma final de Libertadores do que o Zen comprometendo. E nosso meio campo estava todo sem pegada na defesa, inclusive o Elkeson e o Maic, que não deram o combate que vêm dando nas outras partidas. E os gremistas chutavam de todo canto e de qualquer jeito. Tanto é que deram uns 30 chutes e acertaram tudo menos o gol, fora o lance da defesaça do Jefferson.

    Agora, não tenho dúvidas de que o Elkeson rebolou. Tentou um segundo chapéu depois de já ter ganhado um lance, e indo pra trás. Tudo bem, tem 22 anos, damos um desconto. Até porque ele é esse rolo compressor mesmo e durante uns dois terços do primeiro turno praticamente carregou o time nas costas.

    Saudações botafoguenses!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s