Somos quem podemos ser?

E o Somália, hein?

Já ganhou, por antecipação, o título de Mané do Ano, com essa história de forjar sequestro relâmpago para justificar atraso na reapresentação. E, no caso, o Mané não tem nada a ver com Garrincha.

E ainda corre risco de pegar um gancho, se não contratar um bom advogado.

Como lembrou o Rodrigo, do Cantinho Botafoguense, via Twitter, o santo do Fahel continua muito forte…

No mais, ficaram entusiasmados com as contratações?Pois é, também não. E menos ainda com a entrevista “irreverente” do figuraça Joel Santana, cheio de graça, na volta aos trabalhos.

E ainda sem Maicosuel nem Fábio Ferreira, confesso que bateu um desânimo em relação a 2011. Ainda mais quando um passarinho alvinegro, com livre acesso à diretoria, me contou no fim do ano que não há dinheiro para grandes investimentos – na verdade, nem para pequenos. As contratações que chegam são bancadas por empresários de fora do clube ou grupos de investidores na mesma condição.

Bicampeonato carioca, promete o Joel. E daí? Nesse ano, me interessa muito mais o título da Copa do Brasil do que as taças do Estadual. Essa, porém, não parece ser a mentalidade da comissão técnica, mais preocupada em repisar a cada ano o rótulo de “Rei do Rio”.

“Somos quem podemos ser, sonhos que podemos ter”, verso dos Engenheiros do Hawaii do Humberto Gessinger, é a única coisa que me passa pela cabeça ao ver as metas do treinador e da diretoria.

Eu queria mais para o meu clube. Eu queria, ao menos, o direito de sonhar alto. E nem isso eu consigo vislumbrar.

Anúncios

7 Respostas para “Somos quem podemos ser?

  1. Marcelo,
    Embora atrasado (deve ser efeito do tal de somália), Excelente Novo Ano para você e toda a família Pereira!
    Como você eu gostaria de ter o direiro de sonhar, infelizmente com os atuais dirigentes eu não consigo desde 2009.

    Abs e Sds, Botafoguenses!!!

  2. Marcelo, agradecendo a parte que me toca neste “latifúndio”, afianço-lhe e aos seus leitores que, apesar de minhas novas ocupações não me propiciarem mais tempo disponível para as (boas e más) coisas do futebol, vou tentar acompanhar a vida do Glorioso e do “Fogo Eterno”.
    E, nem de longe, pensar que Somália deu uma de Mané – nem por brincadeira. As “enganações” de Garrincha, naquele tempo – segundo João Saldanha – eram sempre representadas por audaciosos atos de “pular a cerca”, atividade que ele cumpria muito bem e que sempre lhe proporcionou mais energia para transformar em Joões os zagueiros adversários.
    Feliz ano novo (enquanto ele está novo!) para todos e saudações botafoguenses.
    C. Pereira (o Pereirão)

  3. E ele contando as historinha dele ? “Isso vai passar”
    __

    Não são nada animadoras as notícias, mas eu sempre sonho, não tem jeito… hehe

    S.A

  4. desde que entendo um pouquinho de futebol, eu sonho alto, marcelo.
    sonho com uma diretoria que trate o botafogo como grande que é. se isso acontecer um dia, amigo, saiam da reta. não vai sobrar nada para os outros.

    abraço

  5. Engraçada a opinião do torcedor que reclamou do fato de termos escorraçado, malas como Lady Flávio, Leo Silva, Jonatas mas mais especificamente o LeandroApático.

    O torcedor disse textualmente… ” e quase sempre brilham em outro time “.

    Pois bem: cite aí um dos que brilharam em outro time. E se isto não for possível, lanço um desafio.

    Jogador que não foi posto para correr mas saiu contratado por mais dinheiro, Jorge Henrique, fora uma Copa do Brasil que foi vencida pelo Ronaldo, FEZ O QUE MESMO EFETIVAMENTE ATÉ HOJE PELO CORINTHIANS EM MOMENTOS DECISIVOS DE CAMPEONATOS MAIS IMPORTANTES? Naquele mata-mata contra o mulambão aqui do Rio? Na reta final do brasileirão?

    Faça-me rir, colega alvinegro. Ter efetividade no time é manter Marcelo Mattos, e a aposta (arriscada) no Maicosuel e principalmente, é trazer Everton, principal responsável pela saída do “moolamber team” em 2009 do 17º lugar para o 6º, lugar do qual, com aquela pantomima entreguista, foi parar no primeiro.

    É aguardar e conferir. L. Guerreiro vai entregar bolas maravilhosas nos pés dos Carrillos, Allevares, Estevez e outros hermanos nesta Libertadores. Os adversários do Cruzeiro presentearão este time, não com flâmulas antes dos jogos, mas até com troféus comemorativos das entregadas e até com din-din mesmo. O Entregando Guerreiro acabou, e só foi mais ou menos efetivo quando tinha um bom meio de campo a brigar para dividir esta tarefa com ele (Tulio, Zé Roberto e um Dodô ainda produzindo, repito, em jogos de meio de tabela).

  6. E só para evitar que o meu comentário crie alguma confusão, Everton saiu logo depois da chegada do Pet Chinelinhovitch naquela pobre agremiação (sem ajuda, não vai a lugar nenhum), mas até quando esteve no timeco, eles acumularam pontos preciosos, vez que o garoto jogou pelo menos 4 vezes mais ali na esquerda do que o Juanito Winehouse jogava quando estava bem. Defendia, atacava como um jogador de seleção, criava, etc.

    Tomara que não venha em baixa, pois formará com o Mattos um meio de campo que nos dará muitas alegrias.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s