Botafogo 1 x 2 Inter: Um lance e um recado

Um lance que resume o jogo.

Saída de bola no segundo tempo. Loco toca para Jobson, que acabara de entrar, que repassa a pelota para Lucio Flavio. O camisa 10, que nesse planeta (talvez em Júpiter seja diferente) é responsável pela criação de jogadas de ataque, não vai para a frente. Com a bola no pé, prefere tocar para trás, na lateral, para Alessandro, que se atrapalha e joga pra fora.

Lateral para o Inter.

Esse lance, meus amigos e minhas amigas, mostra  como é danosa a participação de Lucio Flavio como titular do Botafogo. Me atrevo a dizer que a contusão de Maicosuel e a efetivação do sanguessuga como titular são, mais até do as ausências de Marcelo Mattos e Fabio Ferreira, a principal razão dessa iminente perda da vaga para a Libertadores.

Se LF é o culpado dentro de campo, fora dele o responsável tem nome, sobrenome e apelido-sobrenome: Joel Natalino Santana.

Foi ele que insistiu em Lucio Flavio novamente e o fez titular nessa reta final. E foi também Joel que, após outra atuação lamentável do inoperante, não o sacou no intervalo.

Fez pior. Tirou Tulio Souza que, acima de suas limitações, estava criando boas jogadas e jogando com muita raça, para a entrada de Jobson.

Que Jobson teria que entrar, era óbvio. Mas a saída de Lucio Flavio era fundamental. E isso só ocorreu após mais 15 minutos, para a entrada de Caio, quando o Botafogo conseguiu então seu melhor momento na partida.

Logo depois, graças ás falhas ridículas e sequenciais de Leandro Guerreiro e Marcio Rozario (em dia de Marcio Teodoro, após um bom primeiro tempo), ambos incapazes de afastar uma única esfera de dentro da área, o Inter fez o primeiro gol.

E, com a entrada de Tinga, Roth acertou os espaços que seu time tinha deixado nesses primeiros minutos do 2o tempo e passou a jogar com inteligência, no contra-ataque e no nervosismo do alvinegro. Como fez Joel, aliás, contra o Atlético-MG em Sete Lagoas.

Porque o Joel não sabe fazer seu time jogar para ganhar quando está em casa. Ainda mais quando perde os únicos que sabem carregar a bola da defesa para  o ataque – Marcelo Mattos, Maicosuel e, nesse jogo, Somália. Sem eles em campo, novamente ligação direta dos zagueiros e o pobre do Loco isolado lá na frente – foi assim todo o primeiro tempo. Nada de jogadas pelas laterais – a dobradinha Edno/Cordeiro foi de uma ineficiência irritante. E Alessandro também foi um zero à esquerda no apoio.

Nesse mundo bizarro, as únicas  chances vieram graças ao esforço de Fahel -que, pra piorar a performance em relação ao ano passado, ainda está azarado: meteu bola no travessão e, assim, continua invicto (não fez sequer um gol no Brasileirão, mas deve ter umas 5 ou 6 bolas na trave).

Voltando então para o momento crucial do jogo: depois que o Inter fez o segundo gol,  Antonio Carlos conseguiu ser mais eficiente que Edno e fuzilar o goleiro Muriel. Diminuímos a vantagem colorada só pra não ficar tãããão humilhante a derrota em casa para os reservas do adversário.

Aliás, cabe aqui uma observação:  no papel, Andrezinho e Sobis são reservas e Lucio Flavio e Edno são titulares. Qual dupla tem mais qualidade técnica? E mais: os “reservas” do Inter entraram com total disposição de mostrar serviço para Roth e garantir uma vaga no grupo para o ano que vem.

Quem foi ao Engenhão crente que viria o Inter entregar o jogo só viu os ex-colorados Marcelo Cordeiro (no ataque) e Leandro Guerreiro (nos lances cruciais) entregando para o adversário.

E ainda teve o desprazer de ver Marcio Rozário em tarde de Marcio Teodoro.

No mais, um feliz 2011 pra todos nós, com menos contusões e mais competência técnica, e um recado do Pereirão para o Joel, muito preocupado em participar do Bem Amigos e receber homenagens do que em treinar o time e procurar alternativas táticas para os problemas surgidos nas últimas semanas:

– Ninguém é maior do que o Botafogo.

 

Anúncios

7 Respostas para “Botafogo 1 x 2 Inter: Um lance e um recado

  1. Belo comentário. Gostei muito e infelizmente, ele retrata bem a realidade do Botafogo. Não sei como conseguimos chegar ao sexto lugar, por que o nosso time carece de inteligência tática e vontade dentro de campo. Sinceramente, não sei o que pensar. Abraços e SA!

  2. Desde o jogo do Avaí que minhas esperanças em título ou Libertadores foram para o espaço. Em SC ficou provado que estes preguiçosos que há quatro ou mais anos “vestem” este manto sagrado, não estavam a fim de nenhuma das duas opções. Naquela partida, Edno de casamento marcado, entrou em campo só para fazer número, preocupado que estava com a cerimônia e a festa, o que contagiou ainda mais este desgraçado elenco.

    Cabe a mesma turma que invadiu GS, repetir o feito e exigir que LF, LG, Fahel, Alessandro e Edno jamais voltem a vestir a camisa do BOTAFOGO. Agora, se o treinador fizer beicinho para mantê-los, tá na hora de dizer OBRIGADO JS pelo título carioca e pode pegar descendo. Ah!, incluam também na lista, o flamenguista AB.

    O elenco não é bom, mas, este é o campeonato brasileiro mais fácil de ganhar dos últimos anos.

  3. Ao final do jogo procurei uma palavra para definir como me sentia.
    Após alguns momentos de reflexão descobrí o meu sentimento pós jogo.
    Melancolia.
    Não me sentí decepcionado, pois os avisos já vinham se acumulando. Não me sentí revoltado, porque a raiva passou dos limites após as repetidas falhas dentro e fora de campo. Falhas de jogadores e da comissão tecnica.
    Não me sentí frustrado, pois a frustração vem de uma espectativa não atendida e essa espectativa já era muito baixa apesar das repetidas tentativas de melhorar o astral dos frequentadores deste espaço.
    Recomendo ao Joel e seus pupilos a assistirem ao primeiro tempo de Cruzeiro e Vasco pra entenderem como se entra em campo precisando da vitória em casa.
    Podemos esperar um milagre, porém tem que ser um daqueles de canonização imediata.
    Afinal, tem coisas que só acontecem ao Botafogo.
    E.Sales

  4. Já estava escrito na tabuleta de Moisés, bem no finzinho:
    – O destino do Botafogo é (sempre) a Sul-americana…
    O que fazer?
    Há um filme bem antigo cujo título em inglês é “The left hand of God” que foi traduzido para o português (e passou no Brasil) como “Do destino ninguém foge”.
    Nem mesmo o Glorioso!

  5. Quando o melhor em campo é o Túlio Souza e o pior não é o Alessandro é porque a coisa já foi pro brejo mesmo…

    Caro Pereirão. Gostaria q vc comentasse três situações que ocorreram durante e após o jogo.

    A primeira foi um fato que me deixou sem reação. Após mais uma atuação pífia, o LG foi substituído e a torcida começou a vaiar… Na hora eu pensei. Será que a torcida finalmente se tocou de que esse cara é horroroso e que (por mais que a imprensa insista que ele já fez mto pelo Botafogo e é um líder) ele nunca fez nada demais, já tá jogando mal há uns 2 anos e é o símbolo maior da incompetência???? Mas não!!! Ao sair vaiado, o LG beijou o escudo e um bando de torcedores começou a aplaudi-lo… Q isso???? Então o cara só faz besteira, entrega o ouro em todos os momentos decisivos, não faz nada de produtivo e sai aplaudido pq beijou a camisa??? É como se um cirurgião errasse feio em diversas operações, deixasse os operados aleijados, beijasse a testa de cada um e saísse ovacionado pelas famílias!!! Isso é inconcebível. A torcida tem que se tocar e pressionar para que ao menos o LG não seja titular. Pode ser reserva. Dizem que é bom de grupo… então que fique do lado de fora gritando palavras de incentivo.

    A segunda foi de um repórter afirmando que o Alessandro saiu de campo muito chateado com o comportamento da torcida após o jogo… O que o Seu Boneco queria??? Q a torcida aplaudisse um bando de jogadores medíocres (com poucas ressalvas) e um técnico que só tem um esquema de jogo, seja contra o Barcelona, seja contra o Boavista???? Peraí Alejandro!!!! Vc ganha uma fortuna por mês e não consegue dominar uma bola!!! Chega cara… Não tá satisfeito pega suas coisas e vai jogar no Fra, pq lá eles tratam muito bem jogadores ridículos q nem vc… vide o que eles faziam com o Maurinho Seleção e fazem com o Oval Baiano.

    A última foi do Joel dizendo que a invasão do treino por alguns torcedores abalou o time no jogo de ontem… Meu Deus!!!! Q desculpa esfarrapada!!! E eu ainda tinha dúvidas se o Joel tá jogando mesmo pra perder, pro Botafogo não ir pra Libertadores e ele poder ir sossegado pro Curintia… Agora eu tenho certeza. Que treinador fraco… Sou mto grato pelo título estadual (que para mim teve uma participação mto maior do Loco e do Caio do que do Joel, mas vá lá ele teve seus méritos) mas o que o Joel está fazendo nesse final de campeonato… pelo amor de Deus!!! Escalar LF e LG e dizer que vai marcar sob pressão e sair pro jogo é atestar ou que não entende nada de futebol ou que acha que o torcedor é palhaço…. quem conhece o mínimo de futebol enxerga que esses dois não tem vaga nem na série B, quanto mais em um time que se diz candidato a vaga na Libertadores.

    No mais, agora é torcer mto para que alguns contratos não sejam renovados… (o do Alejandro já foi…) E que cheguem mais jogadores do nível do Loco, do Marcelo Mattos e do Maicosuel que garantiram pelo menos uns 30 pontos nesse campeonato…

  6. Fácil, fácil. Aí vão as respostas:
    1 – Leandro Guerreiro é um dos poucos que, mesmo errando (e como tem errado!) ainda representa bem o espírito de luta e o amor à camisa alvinegra. E’, por assim dizer, um remanescente de jornadas gloriosas de outrora, quando o jogador suava de verdade a camisa, mesmo quando tinha 3 salários atrasados.
    2 – O Alessandro nunca caíu no gosto da torcida. Mesmo quando faz uma bela jogada ou até um gol (eu nem lembro se já fez!) ele é timidamente aplaudido. Porque ele é , em minha modesta opinião, o exemplo da mediocridade do futebol. E’ bom ver no Aurélio que mediocridade é apenas “falta de mérito” – e não outras coisas que alguém possa imaginar; e
    3 – Joel – como todo técnico de futebol – tem que arranjar boas desculpas quando o seu time perde. Nisso, ele se sai até melhor do que, por exemplo o Vanderley tentado explicar no seu” luxemburguês”, porque afundou o Atletico Mineiro e quase não consegue tirar o flamengo do buraco.
    E’ isso aí…

  7. Será que só nós vemos as mesmas coisas em todos os jogos! Quanto ganha o Joel para ver essas coisas? Ele é mesmo profissional?
    Qual o motivo de sempre tirar o jogador que se destaca no primeiro tempo? Essa não foi a primeira vez!
    Discordo de uma coisa do seu comentário. Discordo do Feliz 2011! Perdoa, mas com essas amebas (jogadores, técnico e dirigentes), 2011 será igual a 2010 e 2009.
    Nunca torci tanto para que chegue 2012!

    Abs e Sds, Botafoguenses!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s