Botafogo 2 x 0 S.Paulo: Vencer com autoridade

(Na foto, diante de um desalentado Rogério Ceni, os três melhores em campo – Loco, Edno e Cajá)

Repórter depois do jogo para o Loco Abreu:

– O importante são os 3 pontos, né Loco?

– Não, o importante é vencer e ganhar bem. Jogando com autoridade, pressionando o tempo inteiro, sem precisar de sufoco e ficar na retranca. Foi assim que o Botafogo ganhou hoje. E nós estamos na briga pelo título.

Loco Abreu, ídolo dentro e fora de campo.

Uma vitória maiúscula, com moral, com uma defesa atenta o tempo inteiro, com atacantes incisivos e tentando o gol o tempo inteiro. O Botafogo, em nenhum momento, deixou o São Paulo jogar. E é por isso, além dos três pontos e além da cada vez mais concreta briga pelo título, que nos deixa feliz  após o jogo.

Alguns pontos a serem destacados:

* O comprometimento dos jogadores ao longo dos 90 minutos lembrou o das finais das Taças Guanabara e Rio. Mesmo os limitados – Fahel, Alessandro puxando a fila – jogaram com seriedade o tempo inteiro e isso fez diferença. Os caras morderam os calcanhares dos tricolores paulistas a partida inteira.

* Foi por conta desse comprometimento que o Botafogo não sentiu as ausências forçadas do Marcelo Cordeiro e do Marcelo Mattos. Sobre a saída do primeiro, acho até que o time se beneficiou com a entrada precoce do Edno, pois o Cordeiro de há muito tem dificuldades para marcar e não apoia com qualidade, especialmente nos cruzamentos. Já a saída do Mattos foi a que potencialmente nos trouxe mais riscos, especialmente por conta dos espaços deixados no meio de campo. Mas, por conta do já citado comprometimento, os atacantes – Edno, Caio, Loco, Maic – começaram a marcar lá na frente e simplesmente não deixaram o São Paulo jogar. Detalhe: a marcação forte exercida pelos atacantes foi um dos fatores que levaram o tricolor ao recente tricampeonato brasileiro. Joel fez direitinho a lição do Muricy.

* Outra ausência que acabou se mostrando um reforço foi a do Herrera. Porque, ao contrário do que sempre se diz, o time não fica mais lento com a entrada do Loco – muito pelo contrário, pois o uruguaio tem se tornado muito mais eficiente para tabelas (reparem nas viradas de jogo que ele vislumbra) do que o argentino. Além da evidente diferença de qualidade na bola aérea, que atemoriza os zagueiros adversários e, quando a bola chega, quase sempre resulta no mínimo em jogada perigosa. Sem contar, claro, os dois gols  – importantíssimos! – em dois jogos.

* Até o Neto na Band, com transmissão voltada para São Paulo, reconheceu que foi pênalti do Rogério Ceni no Loco numa disputa de bola no primeiro tempo.

* Maicosuel ainda não fez aquela partidaça, mas hoje demonstrou uma garra e uma vontade que era exatamente o que nos incomodava ali no meio. 

* Showzaço da torcida. Adoro o “Ninguém cala” e o “Fogo, olê, olê”, mas nada supera escutar quase 30 mil pessoas cantando o Hino do Botafogo, como no início do segundo tempo. Coincidência ou não, poucos minutos depois que gritamos “Não podes perder, perder pra ninguém…”, saiu o primeiro gol.

* Ainda sobre o primeiro gol, o Loco foi perguntado sobre o que ele disse para o Caio logo após marcar. Ele respondeu que era “coisa nossa, de dentro de campo”.  Fiquei com a impressão que o uruguaio falou, em tom enérgico, algo como “Ô rapaz, tinha que ter chutado mais no canto, ou mais forte”, tipo uma orientação repassada durante treinamento de finalizações – só que ele, o orientador, tinha acabado de marcar um gol em cima do goleiro mais celebrado do Brasil. Sabe o mestre do Karatê Kid? Pra mim, as palavras foram nessa linha. E a frieza do Abreu realmente é de impressionar, fora a lucidez de suas entrevistas – não cai em pegadinhas de repórter, muito pelo contrário. É um jogador diferenciado, que pode dar contribuições ao Botafogo também fora de campo.

* Cajá ganha personalidade e tem se entrosado mais com a equipe. Não é nada excepcional, mas demonstra total capacidade de segurar uma vaga entre os titulares enquanto o Jobson não volta.

* Melhores em campo? Loco, Cajá, Edno.

* Por falar em entrevista, o Joel também foi bem no pós-jogo. E acabou revelando qual a atual função do Lucio Flávio no grupo: observador. “Ele observa muito bem o jogo, às vezes percebe coisas que eu não tinha percebido, e na maioria das vezes ele tem razão, é um ótimo observador”. Eu concordo. E o melhor lugar para fazer as observações não é de dentro de campo, mas no banco de reservas…

* Teve a elástica vitória em cima do Galo, e a heroica conquista dos três pontos no Pacaembu em cima do Santos. Mas essa foi a vitória mais importante do campeonato até agora – porque o time jogou bem ao longo dos 90 minutos, e diante de um adversário pra lá de perigoso. Então, no meu placar pessoal, ficou registrado Botafogo 2 x 0 SP como o nosso melhor jogo do campeonato até agora. E na hora certa, pra consolidar de vez a confiança em uma campanha sólida na segunda parte do Brasileirão.

PS: A vitória foi tão categórica que tivemos um lance histórico no Engenhão: Fahel driblando e dando olé no adversário. Essa certamente vai para o YouTube.

Anúncios

8 Respostas para “Botafogo 2 x 0 S.Paulo: Vencer com autoridade

  1. Li no Globo Esporte: “O uruguaio, que foi multado pela diretoria por causa de um problema com o técnico Joel Santana, voltou a não comemorar como havia feito na vitória sobre o Santos, na última quinta-feira. Mas, dessa vez, o motivo foi luto. Ele jogou com um fita preta no braço em homenagem a um amigo falecido e dedicou a ele o belo gol”. Tomara que esse luto passe logo e que o Loco volte a comemorar com garra os gols pelo Fogão!!!

  2. Hoje o Botafogo jogou como quem pensa em ser campeão. Defesa segura e
    ataque categórico. Jeff mostrando porque tem a confiança do Mano e a defesa super bem. Mesmo a saida do Cordeiro e do Matos, não alteraram a determinação tática do time. Os que entraram, dedicaram-se ao máximo e
    o Cajá deu um show de técnica e preparo físico.
    Loco, mais uma vez foi o destaque.
    Vai fogão!
    E.Sales

  3. Alguém sabe a previsão de volta do Jobson e do Somália ?

  4. O Loco poderia, também, ensinar os demais jogadores a darem respostas e entrevistas! Com ele não temos aquelas pasmaceiras!
    Vitória com “V” maiúsculo!
    Abs e Sds, Botafoguenses!!!

  5. Botafogo rumo ao título!!!

    Grande vitória! Controlamos o São Paulo e pasmem: o Jefferson não fez nenhuma defesa durante os 90 minutos!

    Vamos FOGO!
    http://generalseveriano.wordpress.com/2010/09/12/botafogo-rumo-ao-titulo/

  6. Ninguém, NINGUÉM falou da torcida.

    Linda.

  7. Não sei, eu fico com a impressão de que era preciso arranjar uma vaga no time titular pro Cajá mesmo depois das voltas de Jóbson e Somália. Pra mim ele foi um dos destaques tanto no jogo de hoje contra o São paulo, quanto na vitória no Pacaembu, contra o Santos. Deu lucidez ao meio de campo; enxerga bem o jogo e distribui as jogadas, como no belo passe que colocou o Edno em ótima condição pra marcar; acho que ele e o Maicosuel – que ainda está devendo muito tecnicamente – se completam, pois o Mago é mais veloz, de arrancada, e o Cajá é mais armador de jogadas, daqueles meias que fazem a bola rodar. O problema é quem tirar? Colocar no lugar de quem? E fico contente ao me dar conta de que esse é o tipo de dúvida que ronda minha cabeça no atual momento do Botafogo. E isso é porque temos elenco, e, depois de muito tempo, condições de lutar pelo título. Aproveitemos, alvinegros, que o momento que vivemos é pra ser desfrutado. E encher o Engenhão, sempre. Estamos na briga pelo título!

    Outro detalhe, infelizmente, é sobre um assunto que já estamos acostumados e cansados de abordar: arbitragem. O Flamengo está brigando por uma vaga no Z-4, então não preocupa, mas o Corinthians também é amigo íntimo dos senhores do apito. Já foram OITO pênaltis marcados a seu favor nesse campeonato – lidera o ranking -, e alguns foram simplesmente absurdos, como o pênalti de ontem contra o Grêmio. Sorte nossa que o Vitor pegou. Mas é interessante ficar de olho; e importante lembrar que se trata do ano do centenário do clube paulista, e passar sem nenhum título seria muito decepcionante. Os árbitros sentem a pressão, ainda que inconscientemente. O pênalti marcado contra o tricolor gaúcho não só foi um completo disparate como pra completar rendeu a expulsão do jogador gremista. Revoltante. Inaceitável. E o pior é ver isso passar despercebido, deliberadamente ignorado pelos comentaristas de plantão.

  8. Os anjos dos céus (comandados por Garrincha e Armando Nogueira) se juntaram e nos deram um fim de semana pra não esquecer: além da irrepreensível vitória sobre o São Paulo, os outros times cariocas não ganharam e os alvinegros paulistas perderam.
    Foi uma rodada em que brilhou intensamente a estrela solitária, cada vez com mais fulgor…
    Pelas minhas contas, ganhamos 16 pontos, a saber: 3, do S.Paulo, 3 do Corinthians, 3 do Santos, 3 do fluminense, 2 do flamengo e 2 do vasco, sem contar os dois do Internacional.
    Isso, sim, foi um final de semana autenticamente GLORIOSO…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s