Atlético-PR 3 x 2 Botafogo: Desmaio coletivo

Nos 15 minutos finais do primeiro tempo, o Botafogo poderia ter feito ao menos mais um gol e liquidado a partida.

Nos 15 minutos iniciais do segundo tempo, o Botafogo tomou dois gols e perdeu um jogador (Fahel) por expulsão.

15- 15 = Zero ponto marcado. E apenas um pontinho nos três últimos jogos.

Mais uma vitória desperdiçada fora de casa. E uma complicação inesperada na tabela antes do recesso da Copa do Mundo.

Fatores para a derrota? Muitos. O primeiro é o óbvio: o ferrolho do Joel estava frouxo, frouxe. Wellington, lento, deu saudade do A.Carlos; Fábio Ferreira se esforçou mas não esteve como em outras partidas e o Fahel, cada vez mais Fahel 2009, não conseguiu converter limitação em eficiência. Pior: voltou, assim como no Brasileirão do ano passado, a ser expulso em momentos decisivos da partida, comprometendo o equilíbrio do time.

E Alessandro, em homenagem ao seu ex-clube, fez questão de inaugurar a filial curitibana da avenida que leva o seu nome, tão conhecida dos torcedores alvinegros. Paulo Baier e Maikon Leite, dois dos primeiros a utilizar a via expressa, aprovaram o espaço, largo e sem qualquer tipo de obstáculo para os que trafegam em alta velocidade na Avenida Alessandro .

O pior é que, mais uma vez, o time fez um bom primeiro tempo fora de casa. Fez dois gols e deveria ter feito mais, pois teve volume de jogo e postura ofensiva, sem se intimidar com a disputa no campo do adversário. Edno, Lucio Flavio e Herrera demonstraram entrosamento e a impressão é que seria uma vitória fácil.

Porém…

O segundo tempo do Botafogo foi desastroso. Jefferson tomou dois gols que não costuma tomar: o primeiro, ficou olhando a bela cobrança de Paulo Baier. No segundo, a bola desviou em F.Ferreira e o goleiro não conseguiu se recuperar a tempo. Vale lembrar que pelo menos um dos lances nasceu dos espaços deixados por Alessandro que, se apoiou mal como sempre, dessa vez perdeu TODAS as disputas defensivas. Nem garra demonstrou.

Com a saída de Lucio Flavio e a não-entrada de Cajá, o Botafogo perdeu qualquer chance de criação no meio – Edno ficou um pouco recuado para tentar armar, Caio e Herrera ficaram no ataque. E a dupla ofensiva, decididamente, não se encontrou. O argentino sumiu de vez e Caio perdeu quase tudo que tentou. A situação ficou tão ruim que novamente Fabio Ferreira e Jefferson deram chutões para tentar encontrar alguém lá na frente. Claro que ficou mais difícil.

No mais, Tulio Souza, em nova infelicidade, foi atingido no ombro, substituído por Sandro Silva e desmaiou no banco de reservas. Pelo menos não apagou em campo como Alessandro, Caio, Wellington e Fahel…

Atuações:

Jefferson – A pior atuação no Brasileirão. Nota 5

Alessandro = Avenida. Nota ZERO

Fabio F. – O menos ruim da zaga foi o mais infeliz ao desviar a bola do terceiro gol do atlético-pr. Nota 5

Fahel – Lento e desatento, ainda conseguiu ser expulso em lance absolutamente previsível. Nota ZERO

Wellington – Lento, foi envolvido seguidas vezes no segundo tempo.  Nota 3

Somália – Não foi o mesmo de outras partidas. Nota 5 Deu lugar a M.Cordeiro, que não fez nada e ainda foi fominha ao cobrar uma falta direto para o gol no último lance da partida. Nota 3

Guerreiro – Grande parte da cratera de marcação no primeiro gol do adversário é culpa dele. Cada vez mais ineficiente no desarme. Nota 4

S.Silva – Primeiro tempo razoável, depois sumiu e contribuiu para a derrocada na etapa final. Nota 4

L.Flavio – Um gol de camisa 10, muitos sumiços de Lucio Flavio. Mas, incrível, fez falta no segundo tempo. Nota 5

Caio – Está sem confiança e agora não pode culpar a torcida. Precisa de uma reciclagem física e psicológica. Nota 3

Herrera – Um gol com um chute no meio das pernas do goleiro e nada mais.Desde que foi contratado em definitivo, deve uma grande atuação. Nota 3

Edno – Melhor no primeiro tempo, mas atacante tem que fazer gol. Nota 3

Loco Abreu – Incrível como faz falta a esse Botafogo sem muitas opções montado pelo Joel. Nota DEZ

Joel – Errou ao não colocar Cajá e manter Alessandro. A sorte não dura para sempre. Nota 3

Anúncios

5 Respostas para “Atlético-PR 3 x 2 Botafogo: Desmaio coletivo

  1. Marcelo,

    Quantos lentos flávios valem um Paulo Baier? Um Alex Mineiro?
    Juro que não consigo entender o motivo de não contratarmos jogadores que passem confiança e decidam um jogo. Chega de medíocres!
    – Talvez seja reflexo da direção do Omisso Comissão Pinóquio e sua turma.!?
    – Talvez seja reflexo de um dirigente mulambo que tem parentesco com empresário parceiro “credor” que ditam as regras de GS!?

    Que adianta um monte de volantes se todos não valem um?
    No jogo contra o time da colina, em que o cone fahel levou o cartão amarelo no primeiro tempo, pensei que seria expulso. Errei o jogo! Como bem disseste, o fahel retornou. Aliás, andava sonolento e finalmente acordou.
    De que adianta o lento flávio fazer gol igual a de um jogador e tres minutos depois ficar olhando o Paulo Baier entrar na área livre. O que foi aquele pezinho levantado?

    Mais uma noite mal dormida!

    Abs e Sds, BOTAFOGUENSES!!!

  2. sem comentários… o que no início me parecia um sonho está se revelando um pesadelo!

    volta loco, por favor…

  3. Você não vai falar da arbitragem não?

    Foi tão desastrosa quanto Fahel, Alessandro, Caio e a armação do Joel.

  4. Não dá pra entender.

    O que, ao contrário, dá pra ter muita certeza, é que o Maicosueal cairia (cairá) como uma luva nesse time.

  5. Gil,
    você tem toda razão. Perder um jogo com 2 gols de P.Baier e um de Alex Mineiro é de lascar. Bem lembrada a moleza do Lucio Flavio no primeiro gol do Baier, mas ali é evidente a ausência de um volante para impedir a progressão – cadê o Guerreiro, que nem aparece na imagem?

    Raphael, o pior é que o time está perdendo o rumo e eu começo a achar que um Maicosuel só não faz verão…

    Marco, o Loco faz muita falta ao time. Ontem, então, era jogo sob medida pra ele.

    Ana Elisa, dessa vez não vou falar de arbitragem porque, apesar dela, o Botafogo teve todas as condições de matar a partida ainda no primeiro tempo – dava pra fazer mais um e não tomar um gol tão infantil, com erros primários de marcação, como o primeiro do Baier. Já no segundo tempo, tudo piorou, claro, também por conta do PCesar de Oliveira – mas a expulsão do Fahel foi correta, ele já tinha amarelo, e não podia fazer (mais) uma burrice como fez, concorda?

    Abs e SA a todos!
    Marcelo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s