Botafogo 3 x 0 Goiás: Sobraram pés e mãos. Faltou cabeça

Qual é a notícia mais importante: a conquista dos três pontos em um jogo que começou complicado e que fez o Botafogo alcançar a liderança do Brasileirão ou a discussão de Caio e Herrera que gerou a expulsão de ambos?

A primeira, certo?

Não é o que todos falarão nos próximos dias.

Se o objetivo dos dois atacantes era evitar um oba-oba da torcida com a boa performance no início da competição, então o objetivo foi assegurado – o foco vai ficar na briga. Sobre o episódio, pouco a comentar da minha parte: o Caio errou no lance, o Herrera errou ao partir para cima dele, o juiz errou ao expulsar ambos – era cartão amarelo para Caio e vermelho para Herrera. Como disse o Pereirão, indignado, os dois têm que ser multados. Concordo. E assim já foram, segundo avisou o gerente Anderson Barros minutos depois do fim do jogo. Aliás, uma intervenção oportuna do gerente, comunicando imediatamente a punição financeira e a advertência que receberam do Joel, sem dar tempo para especulações.

Mas também não convém esticar em demasia o episódio. Até porque ambos são essenciais para o Botafogo 2010, ainda mais com a ausência do Loco até o fim da Copa do Mundo. Nada de afastá-los do elenco – já seremos prejudicados o suficiente com a ausência de ambos contra o Cruzeiro. E também nada de tomar partido de um ou de outro. Os dois são importantíssimos para o time – basta relembrar que o Caio, mesmo sem grande inspiração, participou dos TRÊS gols alvinegros: sofreu a falta no primeiro, dividiu a bola com o goleiro no segundo, esteve na jogada do terceiro, que foi marcado pelo Herrera. Nada de crucificar um ou outro, na minha opinião.

Até que falei demais, né?

Sobre o jogo, tivemos basicamente dois momentos. Até os 40 minutos, sérias dificuldades de criação ofensiva e alguns vacilos de marcação que obrigaram Jefferson a nos salvar de ter as redes balançadas – mais uma vez, o meio não funcionou. E, pior, no ataque, muitos chuveirinhos, mas sem o Loco Abreu em campo – a cabeça do uruguayo fez falta por duas razões: ele é o ponto de equilíbrio emocional do time. Duvido que Caio e Herrera tivessem se estranhado se ele estivesse em campo.

Ai baixou um Mendonça no Lucio Flavio e ele fez um golaço na cobrança de falta, gol que estava nos devendo há uns 378 jogos. Parece, inclusive, que o Mendonça estava no estádio e a torcida gritou o nome dele depois do gol. Cena bonita, hein?

Na sequÊncia, num lance confuso, mas que o Caio teve participação decisiva ao trombar com o goleiro, Somália ampliou o marcador.

(que foto sensacional!)

No segundo tempo, larga vantagem assegurada, o Botafogo se desamarrou. E o terceiro gol, todo construído com passes rasteiros, teve jeitão de Botafogo 2007. Troca rápida e envolvente de passes. Lucio Flavio fez infiltração e deu passe perfeito para Herrera pegar de primeira,  a la Dodô-07, e marcar um belíssimo gol coletivo.

Ainda a destacar, a participação intensa da torcida (parece que a nova música pegou!) e a inteligência em fazer o tempo passar depois do 3 x 0. Inteligência que faltou a nossa dupla de ataque, sério desfalque para o jogo contra o Cruzeiro.

Nas mãos de Jefferson e nos pés dos atacantes e de L.Flavio e Somália, o Botafogo fez a vitória. Mas faltou a cabeça no lugar do Loco Abreu.

Atuações? Vamos lá:

Jefferson – Defesaças de todos os tipos – pelo alto, por baixo, chutes cruzados. Uma delas, quando ainda estava 0 x 0 e o jogador goiano entrou cara a cara, foi essencial para a vitória. Nota 10

Alessandro – Bom segundo tempo, quando o jogo já estava resolvido. Nota 5

A. Carlos – Poucos vacilos, mais segurança. Mas perdeu um gol… Nota 6

Fabio Ferreira – O melhor da zaga. Nota 7

Fahel – O pior da zaga até o 2 x 0.  Depois, claro, ficou mais à vontade na partida. Nota 4

Somália – Erros de passes mas um belo gol. Virou o xodó do Joel e o Marcelo Cordeiro deve estar bufando de raiva no banco. Nota 6

Guerreiro – Precisa, com urgência, reencontrar o posicionamento exato para o combate. Ao menos evoluiu nos desarmes e no apoio. Nota 5,5

Sandro Silva – Mais eficiente do que contra o São Paulo, mas ainda não é, nem de longe, o camisa 8 que precisamos. Nota 5

L.Flávio – Um golaço de falta, um belo passe para o terceiro gol, um pouco mais de mobilidade e empenho. Mas faixa de apoio pra ele é um pouco demais, não? Nota 7

Herrera –  Não pareceu à vontade como referência na área. Duas conclusões bisonhas, um golaço e o desnecessário destempero. Nota 6 pelo jogo, Nota 0 pela expulsão. Na média, nota 3,0

Caio – Participou dos três gols, foi fominha em outros lances, como o da confusão, mas volto a dizer. É mais útil ao time do que Victor Simões e Reinaldo juntos. Nada de crucificá-lo nem de passar mão na cabeça. Nota 7 pelo jogo, Nota Zero pelo lance da expulsão, na média Nota 3,5.

Edno – Claro que o jogo já estava decidido, mas entrou com mais eficiência do que outras partidas. Nota 7

Joel – Não precisa ficar com ideias fixas na cabeça – três zagueiros e dois volantes contra o Goiás foi um pouquinho demais, não? Boa a entrevista no fim da partida. Nota 6

Transmissão do PPV – Discussões intermináveis sobre a estatura do Loco Abreu e se 3 x 0 era goleada ou não. Ninguém merece Raul Quadros como comentarista. Nota ZERO

Leão – Ainda bem que não consegue espaço no futebol do Rio. Suas entrevistas são ridículas na tentativa de fazer ironia e de culpar os outros, nunca o próprio trabalho. “O Rio de Janeiro é maravilhoso, o estádio é maravilho, o árbitro é maravilhoso”, foi apenas uma de suas pérolas. Se Deus quiser, jamais será treinador do Botafogo. Nota ZERO

Fotos: Agência Lance!

Anúncios

8 Respostas para “Botafogo 3 x 0 Goiás: Sobraram pés e mãos. Faltou cabeça

  1. Por favor, Marcelo, não se venha novamente com a história de que “há coisas que só acontecem com o Botafogo” – a respeito dessa briga (não foi nem briga!), dessa discussão com empurrão entre Herrera e Caio. Já aconteceram com o flu, com o vasco, com o palmeiras e com o flamengo (quase toda semana). Agora, a providência tomada, de imediato, pela diretoria do clube, multando os jogadores, fazendo-os se desculparem com os colegas, com a Comisão Técnica e com os torcedores – esta sim só aconteceu com o Botafogo. No mais, é encerrar este episódio lamentável e dormir líder do campeonato brasileiro, sem medo de ser feliz.
    Eu, cá do meu canto, estou a vibrar, sobretudo com o fato do Lúcio Flávio voltar a fazer gol – e de falta.
    Como dizia um político aqui da terrinha:
    – Melhor do que isso, só dois issos…

  2. F… agora quero ver como o Joel vai montar o time na quarta…???

  3. Marcelo, perfeita análise.
    O lance dos dois não teve nada que justificasse as expulsões.
    O árbitro nos prejudicou hj…e principalmente na quarta-feira que vem!
    Abs e SA!!!

  4. O comentarista ainda falou com toda convicção que o Herrera tinha acertado um SOCO no Caio.
    Deve ser um flamenguista querendo trazer crise e criar polêmica pra gente também.

    Tomara que na quarta o Edno se destaque. Torço muito por ele.

  5. Considerações de quem esteve lá:

    1. A nova música pegou, no intervalo Botachopp, FJB e a Loucos pelo Botafogo foram para o corredor ensaiar e o tempo sem luz foi ótimo para que as pessoas a decorassem. Ainda tem uns versos difíceis, mas o importante foi cantá-la antes que fra e fru façam suas versões.

    2. Momento “E assim se faz um torcedor”: no intervalo alguns STs foram ao gramado tentar fazer um gol do meio de campo. Um deles entrou com o filho de uns 4/5 anos. Não conseguiu, mas um dos rapazes do clube chamou o garotinho para ele chutar também, só que a dois metros do gol. Ele, lógico converteu deu “penal” e a torcida gritou como se fosse gol. O menino foi à loucura e saiu comemorando, correu pra torcida e bateu no peito. Lindo!

    3. No próximo jogo Joel vai fazer o que ele mais gosta: encher de volantes. Acho que o Edno vai ficar sozinho no ataque. Espero que o Somália vá então para a meiuca e o Marcelo Cordeiro comece como titular.

  6. Contra o Cruzeiro no Mineirão, é jogo p/ jogar a responsabilidade p/ o dono da casa, e matar a raposa com contra-ataques de qualidade no meio e força no ataque.
    É entrar c/ o Cajá no lugar do Herrera e Edno no lugar do Caio.
    Quarta no Mineirão, será o jogo do Edno.
    Saudações Gloriosas!!!!!!!!
    Cléto Martins

  7. Prometí estar lá mas não deu. Perdí uma goleada ou uma quase goleada. Que discussão ridícula do
    Eduardo Moreno e Raul Quadros.
    Outra coisa ridícula foi a narração do Luis Carlos Jr, torcendo mais do que narrando o jogo da briosa “La U”.
    Maravilhoso foi o chororô depois do jogo. A Manchete da Globo.com foi demais.
    “Lagrimas no vestiário!”.
    Comentarios do Marcelo Nota 10.000.
    Pra quem reclama de retranca do Joel, tem que ver os times do Mourinho. (Inter 2x0Bayern).
    Acho que é isso que vai acabar acontecendo contra o Cruzeiro.
    E.Sales

  8. É preciso Alertarem o Joel Santana que, no momento, quem paga as contas no BFR é a Fila, e não à Adidas
    A aparição do Joel com a marca Adidas, em coletivas com fundos da Fila, está com uma frequencia muito exagerada. Para piorar, só falta também vir acompanhado da inscrição Unimed.

    Saudações Gloriosas!!!!!!!!
    Cléto Martins

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s