Botafogo 4 x 0 vasco: O melhor jogo de 2009

Para esquecer um pouco as agruras do ano alvinegro, o FogoEterno promoveu enquete para eleger a melhor partida do Botafogo em 2009 – não havia tantas opções assim, certo?

E a vencedora, com 46% da preferência, foi Botafogo 4 x 0 vasco pela semifinal da Taça Rio.

O segundo jogo mais votado foi a vitória em cima do São Paulo com 26% das escolhas.

Também foram votadas a conquista da Taça Guanabara, em cima do Resende, e as vitórias em cima do Goiás e do Palmeiras, pelo Brasileirão.

O que há em comum entre as duas partidas mais votadas? O brilho da atuação individual.

No primeiro jogo, Maicosuel; no segundo, Jobson. Mas ouso dizer que Maicosuel foi mais assombroso. Ele parecia possuído pelo espírito do Mané Garrincha; simplesmente demoliu a defesa vascaína no primeiro tempo. Talvez tenha sido a melhor performance de um alvinegro no ano de 2009 – quando acabou a partida, o FogoEterno já tinha o promovido a Sir Michael Swell. E tenho certeza que, não fosse a contusão, estaríamos com a faixa de campeão carioca no peito. E, se  não tivesse sido vendido, jamais teríamos passado tantas dificuldades no Brasileirão. Saudades…

Abaixo, trecho do post “Crônica de uma vitória gloriosa”, escrita após o acompanhamento da goleada no bar brasiliense Só Drink´s, reduto alvinegro na capital. A íntegra pode ser conferida ao lado, na seção Nossa História – Abril 2009:

******************************

“Ó Senhor, abençoe os pés do Alessandro”.

O juiz tinha acabado de apitar o início do jogo quando, a 1.174km do Rio de Janeiro, quase cem ruidosos botafoguenses brasilienses começaram a fazer de tudo para empurrar o time. Pouco importava se, ali no bar Só Drink`s, no início da Asa Norte do Plano Piloto, fosse absolutamente improvável que as energias emanadas do Planalto Central chegassem ao Maracanã .

Ninguém estava nem aí para o fato de integrar uma arquibancada virtual, pois a emoção era real – como é sempre no mais tradicional reduto botafoguense no Distrito Federal . E todo o resto também: gritos de guerra, palavrões a rodo (Cazalberto, a vítima preferida), vendedor de amendoim passando na frente da tevê, orientações aos jogadores sempre com três palavras repetidas (“vai, vai, vai!”, “isso, isso, isso!”, “volta, volta, volta!”, “marca, marca, marca!”), tensão, alívio e explosões de alegria.

Quatro explosões de alegria.

Quis o destino que o Fogo Eterno, há tempos pensando em produzir um relato do clima do Só Drink´s para os botafoguenses do resto do país, saísse do sofá em busca de uma crônica diferente sobre o jogo logo na partida que o Botafogo meteu 4 x 0 no vasco. Sim, o vasco, o melhor time do campeonato, aproveitamento 100%, defesa menos vazada, elogios unânimes, franco favorito a ponto de a rádio cbn, antes da partida, fazer um confronto direto de avaliação entre os jogadores dos dois times e chegar ao resultado de 8 x 3 para os cruzmaltinos. Sendo que, por unanimidade, eles escolheram cazalberto em vez de Maicosuel nessa avaliação. 

Pois foi Maicosuel o responsável pela primeira grande explosão de alegria no bar botafoguense: gente se abraçando, derramando cerveja, gritando “golaço, golaço!” e pedindo para ver o replay do gol mais bonito do ano. Até então, a maior emoção tinha sido a bomba na trave, desferida pelo Juninho, e um copo quebrado perto do local onde eu estava.

O mais bacana do Só Drink´s, para o entendimento de quem não mora em Brasília, é o congraçamento de botafoguenses de todas as quadras e costados: gente jovem, gente velha, gente entusiasta, gente pessimista, gente especializada, gente inocente. Só por conta dessa saudável mistura é possível ouvir frases como “Esse jogo é no Engenhão ou no Maracanã?” e “O Emerson tá fazendo uma falta danada. É ele quem segura essa defesa…” sem ficar aborrecido. Muito pelo contrário. Os únicos que nos tiraram do sério durante a partida foram os bandeirinhas (que erraram TODAS as marcações a favor do bacalhau), o juiz em algumas inversões de marcação, e o desavisado que ousasse passar na frente da tevê durante os 90 minutos. Esse,então, era brindado com uma vaia automática, pouco importava se fosse inclusive o próprio garçom. No mais, deu gosto de ver que a percepção da torcida alvinegra é bem parecida: muitos aplausos para o Thiaguinho não só pelo belíssimo gol, mas pelo espírito de luta; confiança e orgulho a cada intervenção do Renan e a cada lance de categoria do Gabriel (“aê, moleque!”, “Isso, garoto!”), ainda mais depois do terceiro gol; admiração incondicional ao Leandro Guerreiro, ovacionado durante a partida, a cada desarme, a cada antecipação, a cada lance de garra; e, claro, a ovação emocionada a Maicosuel.

No intervalo, 2×0 no placar, após o susto da quase bicicleta do cazalberto, passou um torcedor com faixa na mão, fazendo aviãozinho, já vendendo pacote “aéreo” para a final de domingo. O clima era de confiança na volta para o segundo tempo, até que um torcedor – certamente de uma geração menos cética e mais acostumada com vitórias tranquilas – soltou a frase: “Pronto, meio caminho andado!”

 Coincidência ou não, foram naqueles dez minutos iniciais da segunda etapa os maiores riscos do Botafogo. E todos se entreolhavam a cada ataque vascaíno, até que um teve coragem e falou: “Não fala isso, com a gente nunca tem meio caminho andado, sempre tem bifurcação e desvio no caminho!” Com o reconhecimento da possibilidade de incerteza, a nuvem negra se dissipou após a expulsão do zagueiro que deu uma entrada criminosa no Gabriel e, por isso, não merece nem ter o nome citado aqui no blog. O terceiro e o quarto gols instalaram de vez o clima de euforia absoluta… (leia íntegra ao lado)

************************

Lembro que, antes do jogo, um colega vascaíno ironizava: “Maicosuel? Quem é Maicosuel? Isso é nome de jogador???”. Bem, ele foi apresentado a Sir Michael Swell naquela goleada. Agora, já começou a tripudiar com a contratação de Renato Cajá. Será que o paraibano de Cajazeiras (daí o apelido, nada a ver com a fruta) pode azedar o bacalhau dos vascaínos e ser o Maicosuel de 2010??? Respostas a partir de janeiro.

Anúncios

5 Respostas para “Botafogo 4 x 0 vasco: O melhor jogo de 2009

  1. Foi o meu voto!
    E se não estou enganado, ainda caiu no dia do meu aniversário (11/04). Presentaço!
    Abs e SA!!!

  2. marcelo,
    não sei onde posso clicar para ler a íntegra do texto.
    também votei nessa opção.

    abraço

  3. Rodrigo,
    acho que foi nesse dia, sim. quem recebeu o presente, chocolate, foram os vascaínos!

    e na nova enquete sobre a pior contratação de 2009, surgiram votos para o Rei-Nada – desconfio que você tenha participado da votação…
    Abs e SA,
    Marcelo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s