Edição extra: a crônica aflita do Pereirão

Dez razões para a queda

C.Pereira

 A (iminente) queda do Botafogo para a série B em 2010 deve ter, no mínimo, umas 30 razões – desacertos, erros, omissões, despropósitos etc e etc..
 Vou, sem ser exercício de paciência, tentar resumir em dez os motivos que vão levar (lamentavelmente) o nosso clube a singrar os mares revoltos da segunda divisão no próximo ano.
 Vamos lá, sem preocupação com a cronologia e/ou a importância de cada uma das razões.

1 – O deslumbramento e a ilusão do campeonato carioca – tri vice-campeão, um dos melhores times do Rio, casa cheia no Maracanã. Pura ilusão de um falido campeonato que só tem de bom o número de torcedores. Quando chegam ao Brasileiro, os times do Rio ficam (quase sempre) brigando para não cair.

2 – A ipatinguização do time no começo do Brasileiro, com a contratação, via Ney Franco, de jogadores medíocres tipo Fahel, Léo Silva e outros.

3 – A substituição de um técnico do interior por outro, também, do interior. A tão reclamada (inclusive por mim) saída de Ney Franco mostrou-se, até agora, como mais um lastimável equívoco.

4 – A NÃO baruerização do time. Esperava-se que a vinda do Estevam fosse acompanhada de alguns jogadores bons do time que ele treinava; exemplo: Fernandinho. Tal não aconteceu.

5 – A incapacidade (da diretoria e do time) de fazer do Engenhão a “casa” do Botafogo. Enquanto Sport, Náutico, Fluminense (no Maracanã), Coritiba e até o S. André armam verdadeiras guerras nos seus alçapões, o Engenhão continua sendo o campo do adversário. Lembrem-se, a propósito, das derrotas diante do Atlético Paranaense, Santo André e Vitória em pleno estádio alvinegro – verdadeiras catástrofes!

6 – A péssima organização tática dada ao time, tanto por Ney Franco como por Estevam Soares – não se sabe qual o pior. Qualquer tecnicozinho de time de várzea, desmancha os esquemas(?) que eles montam e por isso não é preciso ser nenhum Muricy para ganhar do treinador alvinegro.

7 – A “mania” de empatar que substituiu (talvez para pior) o costume (mau, muito mau) de levar gols nos minutos finais dos jogos.

8 – A total incapacidade que tem o time de virar um marcador. Se o Botafogo começa ganhando, ninguém assegura que vá até o fim e se começa perdendo, aí sim, não tem jeito de virar o placar – no máximo consegue um empatezinho e olhe lá.

9 – A falta de visão dos atacantes do time com relação ao gol adversário. Jogam, jogam e jogam – mas o gol não sai. Atacar até que atacam, mas finalizar bem, isso realmente não está nos atributos de André Lima, Victor Simões, Laio e companhia, sem falar, é claro, no Reinaldo – o eterno contundido.

10 – A torcida “chochola” que vai ao Engenhão. Não passa nunca de dez mil torcedores que, ao invés de apoiar o time, enrolam a bandeira nos primeiros erros e passam a vaiar e  torcerem contra. Enquanto as torcidas do Sport e Náutico lotam seus estádios, embora estejam em situação igual (ou pior) do que o Botafogo, e até o fluminense, lanterninha de plantão, leva mais de 20 mil pagantes ao Maracanã, onde anda a torcida do Botafogo? E por que não mudar o local – é melhor jogar no Maracanã ou, quem sabe, ressuscitar Caio Martins…

Aí estão dez razões para a provável queda do nosso Glorioso para a série B, porque Sport e Fluminense estão se recuperando – o rubro-negro da Ilha do Retiro já ganhou três vezes no segundo turno, enquanto o Botafogo tem 4 míseras vitórias ao longo de 26 rodadas. A dura realidade é que, até o fim do campeonato, vamos sofrer muito ao  disputar arduamente com o Santo André, Náutico, Sport e Fluminense o 16º. lugar – que vexame!
 E que ninguém se iluda:  se a queda for confirmada e o time não melhorar, poderemos passar bem mais tempo na Segundona. Sabem por que? Este ano a série é uma “baba” para o Vasco porque com ele, desceram  Ipatinga, Juventude e Paraná.
Agora, imaginem o Botafogo disputando uma vaga (das quatro) com Fluminense, Sport e Náutico – além dos aguerridos Ceará, Ponte Preta, São Caetano e outros menos votados.

Que Deus nos proteja!

Saludos alvinegros antes da jornada “emelecada” no Equador…

 

C.Pereira é jornalista, alvinegro e um homem de bom senso: No final da tarde de domingo, acionou o DVD e assistiu ao drama “Expresso para Bordeaux”, enquanto nós assistíamos ao filme de terror “Expresso para o Inferno”, direto do Engenhão…

Anúncios

4 Respostas para “Edição extra: a crônica aflita do Pereirão

  1. Assim fica difícil nutrir algum tipo de esperança. Michael se recusa a ficar no banco de reservas e é corretamente afastado; Jônatas briga no vestiário – ainda no intervalo do jogo – com um dirigente e também é afastado (essa história ainda está mal contada, é cedo para saber se foi uma decisão acertada ou não). Mas será o benedito! Nosso time não tem qualidade quase nenhuma e os poucos jogadores com alguma técnica arrumam motivo para serem punidos e desfalcarem a equipe. Fahel, Victor Simões, Alessandro, Eduardo, Thiaguinho e mais um monte de inúteis que temos no elenco, esses têm comportamento exemplar e nunca serão afastados? Só se for fora de campo, porque dentro dele…

  2. Eu SEMPRE acreditarei no Glorioso… Esteja onde estiver!!!

    Estes jogadores passarão… e o meu amor permanecerá eternamente!!! Nenhum jogador é maior que um time… é isso que alguns Michaels devem aprender!!!!

    Só mais uma sugestão… não tem como a casa do Botafogo se chamar João Havelange. Acho que deveria haver uma mobilização entre os blogs para iniciar uma campanha em que a casa do Botafogo se chame: ESTÁDIO OLIMPICO NILTON SANTOS, ou NILTÃO!!!!

  3. Caros alvinegros,
    a culpa não é do estádio, muito menos da torcida. Que isso. Façam-me o favor. O erro veio de quem comanda o futebol, um senhor que coleciona passagens tenebrosas por flamengo e figueirense, tendo obtido o rebaixamento deste último. O nome do sujeito, felizmente, minha memória já se encarregou de apagar. Desde a troca de Ney por Estevam tenho repetido: trocamos 6 por 5,5. O anterior não era tão ruim como o atual, o mais covarde da história do clube. Lamento, mas o cara é um completo sem noção. E, cá pra nós, pra comandar o Botafogo o sujeito precisa de gabarito e de, no mínimo, saber se expressar.
    Saudações alvinegras

    ps – E não desistam. Agora, uma coisinha: por mais incrível que possa parecer, mas só o Barueri pode salvar o Botafogo. E há de salvar.

  4. Tomara que o final seja do Expresso da Meia-noite.

    Saudações alvinegras!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s