Sport 2 x 1 Botafogo: O sono eterno

O cenário era o mesmo da última quarta-feira: alçapão do adversário, pressão da torcida. Até as cores do rival eram idênticas.

A diferença é que, enquanto os reservas passaram 90 minutos sem levar gol do Atlético-PR, o Botafogo dos titulares foi alvejado duas vezes pelo Sport em menos de 10 minutos.

Se o técnico é o mesmo e as circunstâncias de jogo são as mesmas, o que mudou?

Ora, essa é fácil de responder: os jogadores, claro. O time de quarta-feira demonstrou comprometimento – sabia que tinha que mostrar serviço o tempo inteiro. Já o que entrou em campo nesse sábado tem como característica a acomodação por ter conquistado uma eterna titularidade que jamais fizeram por merecer.

Segundo Estevam, “a equipe entrou dormindo”. Eu me belisquei ao escutar essa declaração. Perdoem as letras garrafais a seguir:

– COMO  É QUE É? OS CARAS FICARAM UMA SEMANA SEM JOGAR, DEIXARAM DE IR PRA CURITIBA PEGAR UMA PEDREIRA, FORAM TRATADOS COMO REIS E ENTRAM EM CAMPO DORMINDO NUM CONFRONTO DECISIVO?

Acho que os dorminhocos não são apenas os jogadores. O sono eterno é, na verdade, da torcida alvinegra. Sim, porque não é possivel que a gente tenha apoiado algum dia Alessandro, Juninho, Tiaguinho, Wellington,Victor Simões…

Sabe por que, rapaziada? Porque a atuação do “sistema defensivo” alvinegro foi tão medíocre que o zagueiro mais eficiente do Botafogo no primeiro tempo foi o Fahel – obviamente, isso não é um elogio. Longe, muito longe disso.

É inconcebível o Botafogo, time (temporariamente) na Série A, tomar dois gols como os que foram marcados por seu adversário. A falha do Alessandro, que armou o contra-ataque do primeiro gol, e a falha da zaga e do goleiro, no segundo gol, são ridículas. De time de várzea.

E, meus amigos, o Botafogo não é time de várzea. Mas tem jogadores que não poderiam estar no clube porque uma hora entram, ganham confiança, passam a se achar (lembram do apelido do Alessandro, lançado aqui no FogoEterno? Tássia – Tássiachando…) e entregam o ouro em momentos decisivos…

Vou parar por aqui porque essa história não é nova. Muito pelo contrário: se repete, como um filme de terror, há alguns anos. E a gente ainda acredita neles, mesmo com todas provas em contrário – a cada partida, a cada rodada…

Pouco irei comentar sobre o jogo. Pra quê?

Falar mal novamente do Juninho, um zagueiro que faz mal ao Botafogo porque nos ilude com seus eventuais gols de falta?

Dizer que Victor Simões, a cada trombada e a cada chute inofensivo, me dá saudade do Wellington Paulista (e isso NÃO é um elogio ao WP)?

Que o A. Lima se dedica apenas às tentativas de cavar faltas e pênaltis que JAMAIS algum juiz marcará e sua movimentação se limita a abrir e estender os braços (essa é para os mais antigos), imitando a coreografia de Elis Regina em “Arrastão”?

Que Lúcio Flávio, mesmo se esforçando muito mais do que na era Ney Franco e tentando desesperadamente encontrar um parceiro de tabela minimamente inteligente, tem MEDO de finalizar?

Que eu não aguento mais ver a cara de derrotado do Leandro Guerreiro dando entrevistas constrangedoras? Nem a quantidade de passes errados do Thiaguinho? Ou reclamar da dificuldade de locomoção do Jônatas?

Que as alterações promovidas pelo Estevam pouco surtiram efeito e o Ricardinho não consegue acertar um lance pela ponta, o que seria a sua “especialidade”?

A verdade, meus caros, é que começamos a perder esse jogo quando Reinaldo ficou no Rio de Janeiro, chinelinho nos pés, por conta de “dores musculares” – ele, fatigado e chinelado, é mais inteligente e sabe o que fazer da bola mais do que quase todos os titulares alvinegros. Ou seja, pode, num lampejo, produzir lances mais efetivos do que VS e AL juntos.

E começamos a mergulhar no lodo quando nos iludimos com conquistas temporárias e deixamos esse arremedo de time ser escalado para disputar uma competição tão difícil e feroz como a Série A do Brasileirão.

No mais, só quero dizer que senti inveja da torcida do Sport, capaz de apoiar o seu time de forma incondicional, centenas de rostos espremidos no alambrado, milhares se acotovelando nas arquibancadas, como se fosse semifinal de Libertadores.

E que, pelo menos, o Botafogo entrou todo de branco na Ilha do Retiro. Seria crueldade ainda maior do destino que essa atuação tão medíocre tivesse sido realizada com o nosso uniforme número 1.

A mais gloriosa das camisas alvinegras do futebol mundial não merecia (mais) essa humilhação.

Anúncios

8 Respostas para “Sport 2 x 1 Botafogo: O sono eterno

  1. Assino embaixo.

    Será que eles acharam que a arbitragem iria ajudar?

  2. Não sei mais o que dizer do Botafogo e infelizmente, tenho que dizer que o Botafogo vai ser muito difícil sair dessa.

  3. Concordo!! O Time Do Fogão tá terr´´ivel. Mas , vcs viram o q a torcida do Sport fez ontem? mesmo com o time deles lá embaixo também! Tá na hora de nós, torcedores do Glorioso se unirmos, e lotar o Engenhão também. Sei que a maioria q hj está ali não merece, mas nosso Glorioso merece!! Ele é maior que todos eles! Te amo Botafogo.

  4. Já fomos quantas mil vezes encher o Engenhão para ver esses pipoqueiros fracassarem? Acho até que deveríamos simplesmente não ir ver mais uma derrota, desta vez contra o nosso companheiro na Série B de 2010.
    E eu, que no ano passado, queria mais do Botafogo. Sétimo lugar no final do campeonato e vitória em cima do Palmeiras. Minha pergunta é:
    Com quantas rodadas de antecedência o Glorioso vai ser definitivamente rebaixado?
    Mas não vou abandonar o barco, mesmo não tendo NENHUMA esperança de escapar dessa vergonha de rebaixamento.
    Ainda bem que o Carioca existe pra gente ter pelo menos uma temporada na primeira divisão.

    SA

    • Ana Elisa, Rui, Luís Eduardo, Rodrigo: obrigado pelos elogios. Volto a dizer: o problema é que tem jogador que ficou uma semana de folga e entrou se achando craque – e não foi só o Alessandro…

      Emerson, o que a torcida do Sport fez deveria ser lição de casa para os nossos torcedores – mas também a diretoria não ajuda, certo? É hora de reduzir CONSIDERAVELMENTE o preço dos ingressos para tentar encher o Engenhão. Preços realmente populares: R$ 5 e R$ 10. Melhor perder dinheiro agora do que montando time pra Série B…

      Pereirinha, não acho que seremos rebaixados com rodadas de antecedência, não. O sofrimento será até a última rodada – já escapamos uma vez assim, quem sabe acontece de novo? Mas se a gente fizer a proeza de ressuscitar os grenás no domingo que vem, aí sim será mais uma grande frustração dentro do Engenhão… Não dá pra abandonar o barco: mesmo xingando, passando muita raiva, a gente fica nele até o fim, afinal como disse o Emerson no comentário de cima, felizmente o Botafogo é maior que todos esses pipoqueiros pernas-de-pau que estão vestindo a nossa camisa gloriosa…

      SA a todos e dias melhores virão (só não sei se ainda esse ano)!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s