Botafogo 2009: De volta para o futuro

idolotorcida

A segunda-feira será mais longa do que outras, mas ela acabará.

E, ao fim da ressaca, chegará a hora de voltar a se concentrar no que realmente importa: o futuro do Botafogo.

Talvez, nesse sentido, a prematura desclassificação da Copa do Brasil tenha um lado positivo – sim, porque seria natural que, mais uma vez, nós atrelássemos as duas competições do primeiro semestre. “Perdemos o Estadual, mas vamos ganhar uma vaga na Libertadores ao sermos campeões na Copa do Brasil!” seria o pensamento da consolação momentânea e, posteriormente, novamente tingido de tragédia.

Não é hora para isso.

Até porque, reconheçamos de uma vez por todas, não temos no momento um time preparado para disputar um mata-mata, ainda mais com cobrança de pênaltis…

É hora de se cuidar e de refletir sobre o que temos e o que realmente queremos.

Vamos nos deslumbrar com eventuais conquistas de campeonatos estaduais e nos abater diante de derrotas, algumas delas só explicáveis por conta de fatores extra-campo?

É muito pouco, não?

Não acho esse o movimento mais correto.

Depois de um início de década terrível, quando o Botafogo caiu para a segundona e chegou perto de fechar as portas diante de tantas dívidas, entramos numa fase de crescimento sustentável – de torcida, de repercussão, de disputa de títulos.

Mas é preciso ir além disso e voltar a se preocupar não com a hegemonia de rivais no território carioca, mas com algo bem mais importante: o futuro do Botafogo.

Tá, mas o que nós torcedores podemos fazer?

Exigir que a diretoria acione o badalado fundo de investimentos para que a prioridade zero seja a manutenção de Maicosuel ao menos até o fim da temporada, se vocês querem um exemplo. E, obviamente, contratem reforços capazes de nos fazerem brigar por uma vaga na Libertadores ao longo do Brasileirão.

E, já que o presidente e o resto da diretoria gostam tanto do trabalho de Ney Franco, exigir ao menos a mudança da mentalidade da nossa comissão técnica – o Botafogo não é time retranqueiro, e cada vez mais acho que perdemos a final do Estadual na decisão da Taça Rio por essa postura defensiva e tacanha, incompatível com a grandeza do nosso time.

Mas essas são ações de curto prazo.

É preciso mais do que isso. Pensar grande, pensar para frente.

Exigir da diretoria ações efetivas para integrar o Engenhão definitivamente ao cotidiano da torcida alvinegra que mora no Rio.

Promover mudanças no plano-torcedor para que botafoguenses de todo o Brasil possam contribuir e possam se beneficiar concretamente de sua contribuição, para citar outro exemplo.

Cobrar e torcer, torcer e cobrar. Esse é o nosso papel.

À diretoria recém-chegada, lembrá-la do tamanho de sua responsabilidade.

Chegou a hora de enterrar 2007, o ano que insiste em não acabar. Dar um tempo no sentimento de injustiçados e, do Estadual de 2009, guardar apenas os inesperados (lembrem-se do início de janeiro…) momentos gloriosos (a conquista da Taça Guanabara, 4×0 no vasco, a reação contra os urubus no segundo jogo da decisão) como exemplos de superação.

É preciso pensar grande e, como bem lembra o Vieira, insistir no fortalecimento da nacionalização da marca Botafogo.

Somos um time brasileiro, não um time carioca.

torcidaengenhao

Temos estádio, temos torcida e temos história.

Por esses três fatores, temos agora é que olhar para frente.

Apostar no futuro do Botafogo.

O nosso futuro.

Anúncios

2 Respostas para “Botafogo 2009: De volta para o futuro

  1. Perfeito, sempre é bom lembrar, que é melhor estar disputando titulo do que só ficar observando os outros jogarem,o que precisamos é de uma vaga na libertadores para o ano ser perfeito, o do urubu estar guardado para breve.

  2. E’ importante pensar no futuro mas é de bom alvitre não esquecer o passado. Está aí o vasco a disputar a segunda divisão, honra que quase o flu chegou a ter, também em 2008. E, pelo que vi nesses últimos jogos do campeonato carioca, o Rio precisa melhorar (e muito) em termos de futebol que não é aquela maravilha mostrada pela Globo, a não ser pela presença de público.
    E, em se tratando do campeonato brasileiro, vão enfileirando ai – Internacional, Grêmio, São Paulo, Corintians, Cruzeiro, Sport, Vitória e, por que não? Palmeiras, Atlético Paranaense, Atlético Mineiro, Santos e Coritiba: já vão 12 que perfeitamente poderão estar à frente dos times do Rio.
    Se o futebol carioca não melhorar mesmo, vai se contentar com uma ou duas vagas na sul-americana.
    A propósito, é bom lembrar que na Copa do Brasil, o nosso Botafogo já foi eliminado pelo modestíssimo Americano, o flamengo dificilmente passará pelo Fortaleza, o vasco vai penar para ganhar do Icasa (fora de casa!) e o flu terá pela frente o Goiás, ou seja ninguém pegou ainda time GRANDE e já vão caindo pelas tabelas.
    De modo que é interessante botar as barbas de molho, antes que elas ardam nos quintos dos infernos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s